Está aberta a chamada de envio de resumos para a Conferência Regional América Latina e Caribe da Ecosystem Services Partnership – #ESP18LA que ocorrerá em Campinas- SP entre os dias 22 e 26 de outubro de 2018.
O  tema central do evento latino americano é “Global changes, Ecosystem Services and Multilateral Environment Agreements (MEAs)“. O foco da discussão se balizará pelo o que os países da América Latina e Caribe estão fazendo (ou não) para atingir quatro grandes acordos ambientais multilaterais: Convenção Diversidade Biológica (Metas de Aichi); Convenção de Mudanças Climáticas (Acordo de Paris); Protocolo de Sendai e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (SDGs).
São mais de 15  sessões para submeter seu resumo de até 300 palavras optando por apresentação oral ou pôster. O prazo para a submissão é 23 de julho de 2018.
Confira a programação e os palestrantes confirmados. ​

A Conferência Regional América Latina e Caribe da Ecosystem Services Partnership – ESP é organizada pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES), em parceria com a Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS) e com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), e ocorrerá na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Conheça a ESP

A Ecosystem Service Partnership  tem como objetivo melhorar a comunicação, a coordenação e a cooperação e construir uma forte rede de indivíduos e organizações.

A Rede foi criada em 2008 pelo Gund Institute for Ecological Economics (Universidade de Vermont, EUA) e agora está sendo coordenado pela Foundation for Sustainable Development (FSD) (Wageningen, Holanda). ESP é uma organização baseada em membros institucionais e individuais.

Desde 2016, a rede organiza conferências mundiais alternadas com regionais. A última Conferência Mundial ESP9 foi em Shenzhen, China, em 2017. Em 2016, a conferência latino-americana foi na Colômbia.

 

2018-06-26T19:17:59+00:00

Sobre o Autor:

Bióloga, doutora em Política Científica e Tecnológica (Unicamp), atua na área de planejamento e avaliação de CT&I, com ênfase em gestão de programas de pesquisa em biodiversidade. Estuda Jornalismo Científico e acredita que a informação e o diálogo (+ uma pitada de esperança) são o caminho das melhores escolhas.