Inspiração 2017-08-29T22:32:48+00:00

Intergovernmental Platform on Biodiversity and Ecosystem Services

A IPBES foi criada em 2012 no Panamá por mais de 100 governos como um mecanismo para fornecer informação científica em resposta aos pedidos dos tomadores de decisão. Está situada no guarda-chuva de quatro entidades das Nações Unidas: PNUMA, FAO, PNUD e UNESCO, e é administrada pelo PNUMA. Seu secretariado é localizado no campus da ONU, em Bonn, na Alemanha. Atualmente, a plataforma conta com 127 nações membro e aproximadamente mil cientistas de todo o mundo nomeados por seus governos ou por suas organizações e selecionados pelo Painel Multidisciplinar de Especialistas (MEP) para contribuirem voluntariamente para o trabalho da IPBES.

FUNÇÕES

A IPBES envolve cientistas e outros detentores de conhecimento ao redor do mundo para analisar e avaliar informações científicas e técnicas relevantes, produzidas mundialmente, para a compreensão da biodiversidade e serviços ecossistêmicos. A Plataforma não produz novas pesquisas. O trabalho da IPBES é centrado em torno de quatro funções essenciais complementares:

CAPACITAÇÃO:
Aumentar a capacidade da comunidade política científica para executar e usar as avaliações e outros produtos da IPBES;

GERAÇÃO DE CONHECIMENTO:
Identificar as necessidades de conhecimento dos tomadores de decisão e catalisar esforços para gerar novos conhecimentos;

AVALIAÇÃO:
Entregar avaliações globais, regionais e temáticas de conhecimento sobre biodiversidade e serviços ecossistêmicos;

APOIO À POLÍTICA:
Identificar ferramentas/metodologias políticas relevantes, facilitar a sua utilização, bem como promover e catalisar o seu desenvolvimento futuro.

MISSÃO

A missão da IPBES é reforçar a interface entre ciência e política para biodiversidade e serviços ecossistêmicos para a conservação e uso sustentável da biodiversidade, bem-estar humano em longo prazo e desenvolvimento sustentável.

Operacionalização

​A Plenária é o órgão de tomada de decisão da Plataforma. É composta por membros de Governo (dos 124 países signatários) e observadores. A Plenária nomeou dois órgãos subsidiários: o Bureau e o Painel Multidisciplinar de Especialistas (MEP). O Bureau é responsável por supervisionar funções administrativas e é composto por 10 membros (dois de cada região da ONU, incluindo um chair e quatro vice-chairs). O MEP é responsável pela execução das funções científicas e técnicas do programa de trabalho. É composto por 25 membros (cinco de cada região da ONU, incluindo dois co-chairs e três vice-chairs). Nas reuniões do MEP podem participar observadores, incluindo membros do Bureau, chairs de organismos científicos de acordos ambientais multilaterais relacionados à biodiversidade, e o presidente do IPCC.

Intergovernmental Platform on Biodiversity and Ecosystem Services

A IPBES foi criada em 2012 no Panamá por mais de 100 governos como um mecanismo para fornecer informação científica em resposta aos pedidos dos tomadores de decisão. Está situada no guarda-chuva de quatro entidades das Nações Unidas: PNUMA, FAO, PNUD e UNESCO, e é administrada pelo PNUMA. Seu secretariado é localizado no campus da ONU, em Bonn, na Alemanha. Atualmente, a plataforma conta com 127 nações membro e aproximadamente mil cientistas de todo o mundo nomeados por seus governos ou por suas organizações e selecionados pelo Painel Multidisciplinar de Especialistas (MEP) para contribuirem voluntariamente para o trabalho da IPBES.

FUNÇÕES

A IPBES envolve cientistas e outros detentores de conhecimento ao redor do mundo para analisar e avaliar informações científicas e técnicas relevantes, produzidas mundialmente, para a compreensão da biodiversidade e serviços ecossistêmicos. A Plataforma não produz novas pesquisas. O trabalho da IPBES é centrado em torno de quatro funções essenciais complementares:

CAPACITAÇÃO:
Aumentar a capacidade da comunidade política científica para executar e usar as avaliações e outros produtos da IPBES;

GERAÇÃO DE CONHECIMENTO:
Identificar as necessidades de conhecimento dos tomadores de decisão e catalisar esforços para gerar novos conhecimentos;

AVALIAÇÃO:
Entregar avaliações globais, regionais e temáticas de conhecimento sobre biodiversidade e serviços ecossistêmicos;

APOIO À POLÍTICA:
Identificar ferramentas/metodologias políticas relevantes, facilitar a sua utilização, bem como promover e catalisar o seu desenvolvimento futuro.

MISSÃO

A missão da IPBES é reforçar a interface entre ciência e política para biodiversidade e serviços ecossistêmicos para a conservação e uso sustentável da biodiversidade, bem-estar humano em longo prazo e desenvolvimento sustentável.

Operacionalização

​A Plenária é o órgão de tomada de decisão da Plataforma. É composta por membros de Governo (dos 124 países signatários) e observadores. A Plenária nomeou dois órgãos subsidiários: o Bureau e o Painel Multidisciplinar de Especialistas (MEP). O Bureau é responsável por supervisionar funções administrativas e é composto por 10 membros (dois de cada região da ONU, incluindo um chair e quatro vice-chairs). O MEP é responsável pela execução das funções científicas e técnicas do programa de trabalho. É composto por 25 membros (cinco de cada região da ONU, incluindo dois co-chairs e três vice-chairs). Nas reuniões do MEP podem participar observadores, incluindo membros do Bureau, chairs de organismos científicos de acordos ambientais multilaterais relacionados à biodiversidade, e o presidente do IPCC.

Programa de Trabalho 2014-2018

O programa de trabalho da Plataforma para o período 2014-2018 foi concebido para implementar os objetivos, funções e princípios de funcionamento da Plataforma de uma forma coerente e integrada. Este programa compreende um conjunto sequencial de objetivos, ações, metas e produtos para avançar nas quatro funções da Plataforma em escalas relevantes. O trabalho analítico iniciado sob o programa de trabalho será guiado pelo marco conceitual (conceptual framework) da plataforma.

Para mais detalhes sobre os processos de avaliação, o marco cenceitual e o primeiro diagnóstico temático da IPBES assista às palestras online (Webinars) clicando aqui

Programa de Trabalho 2014-2018

O programa de trabalho da Plataforma para o período 2014-2018 foi concebido para implementar os objetivos, funções e princípios de funcionamento da Plataforma de uma forma coerente e integrada. Este programa compreende um conjunto sequencial de objetivos, ações, metas e produtos para avançar nas quatro funções da Plataforma em escalas relevantes. O trabalho analítico iniciado sob o programa de trabalho será guiado pelo marco conceitual (conceptual framework) da plataforma.

Para mais detalhes sobre os processos de avaliação, o marco cenceitual e o primeiro diagnóstico temático da IPBES assista às palestras online (Webinars) clicando aqui

Diagrama do Marco Conceitual (Conceptual Framework) da IPBES

No painel central, delimitado em cinza, caixas e setas denotam os elementos da natureza e da sociedade que são o foco principal da plataforma. Em cada caixa, o texto em cor preta indica categorias que devem ser inteligíveis e relevantes para todas as partes interessadas na IPBES, e abrangem as categorias da ciência ocidental (verde) e categorias equivalentes ou similares em outros sistemas de conhecimento (azul). As categorias em azul e em verde são ilustrativas, não exaustivas, e estão melhor explicadas em Díaz et al, 2015. As setas sólidas no painel principal denotam a influência entre os elementos; as setas pontilhadas denotam as ligações reconhecidas como importantes, mas que não são o foco principal da IPBES. As setas coloridas, à direita e abaixo do painel principal, indicam que as interações entre os elementos mudam ao longo do tempo e ocorrem em várias escalas espaciais. As linhas verticais na extrema direita da figura indicam que, embora o escopo dos inventários da IPBES seja nas escalas supranacional-subregional a global, eles serão em parte construídos a partir de relações e propriedades que agem em escalas mais finas.

Adaptado de Díaz et al (2015) “The IPBES conceptual framework – connecting nature and people”. Current Opinion in Environmental Sustainability 14:1-16.

Diagrama do Marco Conceitual (Conceptual Framework) da IPBES

No painel central, delimitado em cinza, caixas e setas denotam os elementos da natureza e da sociedade que são o foco principal da plataforma. Em cada caixa, o texto em cor preta indica categorias que devem ser inteligíveis e relevantes para todas as partes interessadas na IPBES, e abrangem as categorias da ciência ocidental (verde) e categorias equivalentes ou similares em outros sistemas de conhecimento (azul). As categorias em azul e em verde são ilustrativas, não exaustivas, e estão melhor explicadas em Díaz et al, 2015. As setas sólidas no painel principal denotam a influência entre os elementos; as setas pontilhadas denotam as ligações reconhecidas como importantes, mas que não são o foco principal da IPBES. As setas coloridas, à direita e abaixo do painel principal, indicam que as interações entre os elementos mudam ao longo do tempo e ocorrem em várias escalas espaciais. As linhas verticais na extrema direita da figura indicam que, embora o escopo dos inventários da IPBES seja nas escalas supranacional-subregional a global, eles serão em parte construídos a partir de relações e propriedades que agem em escalas mais finas.

Adaptado de Díaz et al (2015) “The IPBES conceptual framework – connecting nature and people”. Current Opinion in Environmental Sustainability 14:1-16.

Diagrama do Marco Conceitual (Conceptual Framework) da IPBES

No painel central, delimitado em cinza, caixas e setas denotam os elementos da natureza e da sociedade que são o foco principal da plataforma. Em cada caixa, o texto em cor preta indica categorias que devem ser inteligíveis e relevantes para todas as partes interessadas na IPBES, e abrangem as categorias da ciência ocidental (verde) e categorias equivalentes ou similares em outros sistemas de conhecimento (azul). As categorias em azul e em verde são ilustrativas, não exaustivas, e estão melhor explicadas em Díaz et al, 2015. As setas sólidas no painel principal denotam a influência entre os elementos; as setas pontilhadas denotam as ligações reconhecidas como importantes, mas que não são o foco principal da IPBES. As setas coloridas, à direita e abaixo do painel principal, indicam que as interações entre os elementos mudam ao longo do tempo e ocorrem em várias escalas espaciais. As linhas verticais na extrema direita da figura indicam que, embora o escopo dos inventários da IPBES seja nas escalas supranacional-subregional a global, eles serão em parte construídos a partir de relações e propriedades que agem em escalas mais finas.

Adaptado de Díaz et al (2015) “The IPBES conceptual framework – connecting nature and people”. Current Opinion in Environmental Sustainability 14:1-16.