Em março de 2018, representantes de 127 governos receberão para aprovação, cinco Diagnósticos que descrevem o estado do conhecimento sobre biodiversidade, ecossistemas e contribuições da natureza para as pessoas. O lançamento oficial dos documentos ocorrerá em Medellín (Colômbia) durante a 6ª sessão anual da Plenária da IPBES (#IPBES6), Plataforma Intergovernamental Ciência-Política sobre Biodiversidade e Serviços de Ecossistemas, também denominada “IPCC da Biodiversidade”. A IPBES é plataforma global de ciência e política encarregada de fornecer a melhor evidência disponível para informar sobre as decisões que afetam a natureza.

Os Diagnósticos avaliam o status da biodiversidade e as contribuições da natureza para a boa qualidade de vida em cada região do planeta e suas respectivas sub-regiões. Além da descrição do estado de conservação e as tendências, os Diagnósticos apresentam as relações com vetores de mudanças e ameaças, bem como as questões relevantes para as políticas que afetam a biodiversidade e o bem-estar humano. As análises elaboradas examinam o passado e projetam cenários entre pessoas e natureza com base em diferentes vias de decisão.

Elaborados ao longo de 3 anos por cerca de 550 especialistas de mais de 100 países, os Diagnósticos abrangem quatro regiões do mundo – Américas, Ásia e Pacífico, África e Europa e Ásia Central, ou seja, todo o mundo, exceto a Antártica e os oceanos abertos. O custo total da preparação destes documentos foi de US$ 5 milhões. O quinto Diagnóstico da IPBES examina a Degradação e Restauração da Terra, tanto em nível regional como global.

Os Diagnósticos igualmente avaliam o progresso (ou não) em relação às Metas de Aichi, Acordo de Paris, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e as prováveis interações entre as pessoas e a natureza nas próximas décadas.

Além disso, os Diagnósticos buscam responder aos seguintes pontos:

  • Como a biodiversidade, as funções dos ecossistemas e as contribuições da natureza para as pessoas afetam a economia, meios de subsistência, segurança alimentar e boa qualidade de vida. Em outras palavras: por que a biodiversidade é importante?
  • O status, as tendências e as potenciais dinâmicas futuras da biodiversidade, as funções dos ecossistemas e as contribuições da natureza para as pessoas, que afetam a economia, meios de subsistência e bem-estar humano. Em outras palavras: estamos fazendo progressos ou ainda estamos destruindo a biodiversidade e prejudicando o bem-estar humano?
  • As pressões que impulsionam mudanças na biodiversidade e contribuições da natureza para as pessoas. Em outras palavras: quais são as ameaças à biodiversidade?
  • Os impactos reais e potenciais de políticas e ações sobre as contribuições da natureza para economia sustentável, meios de subsistência, segurança alimentar e boa qualidade de vida. Em outras palavras: quais políticas e estruturas de governança que podem levar a um futuro mais sustentável?
  • Lacunas e prioridades do conhecimento.

O relatório de avaliação da IPBES sobre Degradação e Restauração da Terra identificará as ameaças aos ecossistemas terrestres, oferecendo evidências de todo o mundo e uma gama de melhores soluções disponíveis para reduzir os riscos ambientais e sociais e os impactos da degradação da terra. Isso ajudará todos os tomadores de decisão a fazer escolhas mais informadas sobre como parar e reverter a degradação da terra.

Entenda a Estrutura dos Diagnósticos IPBES

Cada Diagnóstico IPBES começa com o sumário executivo para formuladores de políticas (Summary for Policymakers – SPM), destacando os achados e opções de políticas e governança mais importantes e relevantes para políticas. Note que nenhum dos documentos tem a intenção de ser prescritivo. Os SPMs basear-se-ão em um conjunto de seis capítulos (oito para o relatório de avaliação da degradação da terra), descritos abaixo, fornecendo todo o suporte técnico para as mensagens-chave dos SPMs:

  1. Questões e temas relevantes para cada região e sub-região, bem como métodos e abordagens da avaliação
  2. Contribuições da natureza para as pessoas e boa qualidade de vida
  3. Status, tendências e dinâmicas futuras entre biodiversidade e ecossistemas
  4. Vetores diretos e indiretos da mudança de natureza no contexto de diferentes perspectivas de qualidade de vida
  5. Análise de possíveis interações entre mundo natural e sociedade em longo prazo
  6. Opções de governança, instituições e tomada de decisões – especialmente considerando os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, Metas de Aichi e Acordo de Paris.

Para garantir os níveis mais elevados de credibilidade e relevância política, os Diagnósticos IPBES foram revisados ​​extensivamente por centenas de especialistas externos, incluindo governos, cientistas e tomadores de decisão, profissionais e detentores de conhecimento indígena e local.

Os Diagnósticos serão apresentados com o maior espectro de tomadores de decisão, incluindo líderes governamentais e empresariais, grupos da sociedade civil, povos indígenas, grupos de mulheres e até famílias individuais, com informações detalhadas, incluindo infografia e mapas fáceis de entender.

 

2018-02-19T19:52:46+00:00

Sobre o Autor:

Bióloga, doutora em Política Científica e Tecnológica (Unicamp), atua na área de planejamento e avaliação de CT&I, com ênfase em gestão de programas de pesquisa em biodiversidade. Estuda Jornalismo Científico e acredita que a informação e o diálogo (+ uma pitada de esperança) são o caminho das melhores escolhas.